top of page

Centro de pesquisa da Secretaria da Agricultura lança publicações sobre frutas nativas do RS

O Centro Estadual de Diagnóstico e Pesquisa Florestal (Ceflor), de Santa Maria, vinculado à Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi), acaba de lançar duas publicações sobre as frutas nativas do Rio Grande do Sul. A primeira é um conto de literatura infantil chamado Sabores e saberes: uma aventura pelo mundo das frutas nativas do RS , que conta a história de um grupo de amigos que descobrem os sabores das frutas nativas durante um passeio em uma colina. A segunda é uma cartilha ilustrada que aprofunda as informações técnicas e traz inúmeras receitas com as frutíferas abordadas no conto infantil.


As obras fazem parte do projeto Sabores e saberes: conhecendo e valorizando as frutas nativas do estado do Rio Grande do Sul contemplado, recentemente, com recursos de R$ 5 mil da Fundação Antonio Meneguetti. A engenheira agrônoma e pesquisadora Gerusa Steffen, uma das autoras das publicações, explica que os materiais exploram dez das principais espécies de frutíferas nativas do RS. “Enquanto o primeiro livro trabalha o tema de forma mais lúdica, o segundo fala sobre os aromas, sabores, épocas de frutificação e potenciais nutricionais e medicinais das frutas nativas”, esclarece Gerusa.



As publicações foram elaboradas para auxiliar professores e técnicos das escolas para que possam trabalhar a temática com os alunos. Segundo Gerusa, há 200 exemplares impressos do conto infantil, além das versões digitais no formato de e-book. “As espécies nativas integram o patrimônio histórico e cultural do nosso Estado. Este material vai nos ajudar a valorizar e preservar a riqueza de sabores que fazem parte da nossa história e de importantes memórias do povo do Rio Grande do Sul”, defende.


Para celebrar o lançamento das publicações, os pesquisadores do Ceflor se comprometeram a distribuir mil mudas de frutíferas nativas das espécies araçá amarelo, araçá vermelho, cerejeira-do-rio-grande, goiabeira serrana, guabiju, guabiroba, jabuticaba, pitanga e uvaia. A ideia é incentivar o plantio das mudas em diversos espaços e municípios do RS.


Escolas públicas e privadas, agricultores e instituições que tiverem interesse em adquirir as mudas devem procurar o Ceflor no retorno das aulas. “Nós informamos a lista das espécies disponíveis e, após uma análise da disponibilidade de espaço de cada escola, repassamos as mudas e auxiliamos com informações técnicas sobre a melhor época de plantio e os cuidados após o plantio”, explica Gerusa.


O Centro Estadual de Diagnóstico e Pesquisa Florestal (Ceflor) atua especialmente na área florestal. Nele são feitos o plantio e a comercialização de mudas, além do beneficiamento e armazenamento de sementes de espécies florestais nativas. O espaço é aberto para alunos e escolas que queiram conhecer o trabalho e para o público em geral que pretenda adquirir mudas de espécies florestais nativas.


Para baixar o conto infantil, clique aqui.


Para baixar a cartilha técnica, clique aqui.


Texto: Darlene Silveira/Seapi Edição: Fernando Antunes/Secom


 


23 visualizações0 comentário
bottom of page