DINÂMICA DE INVERNO SE INSTALA COM SUCESSIVAS MASSAS DE AR FRIO

Inverno só chega oficialmente pelo critério astronômico no dia 21 de junho à 0h32m, mas o denominado inverno climático que se convencionou chamar o trimestre junho a agosto está a apenas vinte dias de ter início. Com efeito, a atmosfera a cada dia avança de forma gradual para um padrão mais típico da estação fria.


O que se observa neste mês de maio até o momento é exatamente a gradual instalação de um padrão atmosférico de inverno no Rio Grande do Sul com sucessivas incursões de ar frio. O Estado já contabiliza até agora cinco dias com temperatura negativa do ano, sendo três no final de abril e dois agora no mês de maio. A menor marca de 2021 até o momento no território gaúcho ocorreu no dia 28 de abril em Vacaria, com uma mínima de 3,3ºC abaixo de zero.


POR QUE ESTAMOS INGRESSANDO EM UMA DINÂMICA DE INVERNO

Mesmo durante o verão massas de ar mais frio e seco não deixam de alcançar o Sul do Brasil. É o que explica a geada que às vezes ocorre em janeiro ou fevereiro em localidades de maior altitude da região, notadamente o Planalto Sul Catarinense. Ocorre que estas incursões de ar mais ameno no verão são pouco freqüentes e o que predomina é o ingresso de massas de ar quente de Norte, afinal as correntes de vento de Norte com ar tropical é que são as comuns na estação.


Por outro lado, no inverno as massas de ar frio se tornam muito mais freqüentes e incursões de ar polar se dão rotineiramente. As frentes frias costumam alcançar o Rio Grande do Sul, em média, sem padrão de bloqueio atmosférico, a cada sete dias. E, na sequência de cada sistema frontal frio, há o ingresso de ar mais frio.


Nos últimos 15 dias, o Rio Grande do Sul teve duas incursões de ar frio. A primeira, que trouxe os três dias de mínimas negativas no fim de abril, e a segunda, na última semana, com dois dias de instabilidade e máximas baixadas seguidos de uma sequência de dias de tempo seco ensolarado com madrugadas frias que proporcionaram mais duas jornadas com mínimas negativas na estatística deste ano até agora.


Publicidade

Assim, a dinâmica atmosférica foi típica de inverno nos últimos 15 dias com a frequência regular de frentes frias, apesar de os sistemas frontais não terem sido intensos, e a chegada de duas massas de ar frio, o que normalmente poderia se esperar em uma quinzena no inverno.


ESTA DINÂMICA DE INVERNO VAI SEGUIR?

Ao menos no curto prazo não se observa a instalação de nenhuma padrão de bloqueio na atmosfera que impedisse a chegada de ar frio ao Rio Grande do Sul. Na hipótese de um bloqueio, o que se daria seria chuva excessiva no Centro da Argentina e no Uruguai com ar quente sobre o território gaúcho. Não é, contudo, o que se projeta para os próximos 15 dias.


O restante do mês de maio seguirá nesta mesma trajetória até agora de passagens de frentes frias seguidas de massas de ar frio. Nesse sentido, uma nova massa de ar frio vai ingressar no Rio Grande do Sul entre esta terça (11) e a quarta-feira, o que vai prolongar o período de temperatura abaixo da média de maio até agora.


A segunda metade desta semana será influenciada por esta massa de ar frio com mínimas típicas de inverno. Novamente, o Rio Grande do Sul terá mínimas ao redor de 0ºC ou até negativas nas baixadas dos municípios de maior altitude e a Grande Porto Alegre pode registrar as suas menores mínimas até agora neste ano.



Esta massa de ar frio agora da segunda metade desta semana não é de forte intensidade e será de passagem rápida pelo Sul do Brasil. Vai, entretanto, provocar mínimas baixas na madrugada por muitos dias seguidos porque vai secar acentuadamente a atmosfera. O ar passará a muito seco e isso favorecerá um forte resfriamento noturno e com geada, mesmo sem ar muito frio atuando. É o que trará grande amplitude térmica com noites frias e tardes de temperatura agradável.


E VEM MAIS SEMANA QUE VEM

Os modelos numéricos analisados pela MetSul indicam que uma nova massa de ar frio vai alcançar o Rio Grande do Sul e o Sul do Brasil na próxima semana.


Com efeito, os dados estão a indicar a chegada de um novo pulso ar frio a partir do dia 17, garantindo uma nova sequência de dias de tempo seco e temperatura baixa durante a noite.



Não aparece no horizonte próximo, entretanto, qualquer incursão de ar polar de maior magnitude, intensa, que possa trazer precipitação de inverno como neve ou tardes de frio mesmo com sol.


Às vezes, tais incursões de ar polar mais fortes ocorrem em maio, mas, via de regra, se dão a partir de junho. Portanto, estes dias de frio que agora estamos a experimentar são apenas o começo e tem muito frio ainda por vir neste ano.


Edição: METSUL

19 visualizações0 comentário