DISTRITO INDUSTRIAL TERÁ NOME DO EX PREFEITO MILTON SERRES RODRIGUES

Na sessão da Câmara de Vereadores da segunda-feira (21), o Projeto-de-Lei 001/2022, de autoria do vereador Diego D’Ávila Christoff , que denomina o Distrito Industrial de Encruzilhada do Sul como Distrito Industrial Prefeito Milton Serres Rodrigues. Foi aprovado por unanimidade de votos. De acordo com a justificativa, o homenageado teve papel extremamente relevante na vida pública de Encruzilhada do Sul. Nascido no ano de 1918 e falecido no dia 29 de junho de 2002 foi casado com Dolores Leonila Müller Rodrigues e pai de Wilson Müller Rodrigues, Newton Müller Rodrigues e Airton Müller Rodrigues. Wilson foi deputado federal entre 1991 e 1994. Rodrigues teve uma intensa atividade política ao longo de sua vida; foi vereador em 1947, sendo secretário da Câmara Constituinte do Município, que redigiu a Lei Orgânica, após o Estado Novo.




Candidato a Deputado Estadual em 1950, candidato a prefeito de Encruzilhada do Sul/RS em 1951, sido reeleito vereador em 1955, eleito prefeito em 1959 e vereador novamente em 1963.


Foi a primeira pessoa não filiada à grupo político que administrou o Município desde a Proclamação da República a assumir a chefia do Executivo Municipal em Encruzilhada do Sul.


Milton Rodrigues ainda concorreu mais duas vezes a prefeito de Encruzilhada do Sul, após sua gestão: em 1968 e 1976, em ambas as vezes foi o candidato mais votado, conforme o texto da justificativa "só não obtendo a cadeira de prefeito pela manobra que a Arena usava, de lançar subcandidaturas ao cargo de prefeito, que acabavam somando mais votos do que aqueles obtidos pelo MDB, partido pelo qual Milton Rodrigues concorria, permitindo que a agremiação política de apoio a Ditadura Militar ganhasse".


Confira a justificativa:

“Durante seu anos de atividade pública, pleiteou e conseguiu a instalação de uma agência do Banco do Brasil em Encruzilhada do Sul; no governo de Ernesto Dornelles, pleiteou e conseguiu o porto de Amaral Ferrador, os Grupos Escolares de Dom Feliciano e da Coxilha de Amaral Ferrador, bem como os primeiros equipamentos de raios-x para o Hospital Santa Bárbara; no governo de Juscelino Kubitschek, participou das lutas pelo desenvolvimento da triticultura e do cooperativismo, tendo, com outras lideranças locais, conseguido a instalação da antiga Cooperativa Tríticola do Município.


Publicidade

Na sua histórica gestão, como prefeito de Encruzilhada do Sul, obteve os seus maiores êxitos, muitos em parceria com o governador do Estado, Leonel Brizola: obtenção de um trator carregador, uma motoniveladora (patrola), criação do Grupo Escolar Barão do Quaraí (atual Escola Estadual de Ensino Fundamental Barão do Quaraí), criação do Grupo Escolar de Amaral Ferrador, a construção de dezenas de escolas municipais de Primeiro Grau Incompleto, na zona rural do Município, como resultado da implantação do SEDEP (Serviço de Expansão do Ensino Primário), (por iniciativa do governador Leonel Brizola), início do levantamento geológico do Município, por parte do Estado, início da construção do Estádio Municipal, o início da construção das instalações do atual Colégio Estadual Técnico-Agropecuário Dr. Zeno Pereira Luz (Cetec), a construção da Hidráulica Municipal. Como prefeito de Encruzilhada, Milton Rodrigues dedicou todos os seus dias à vida do município, reconstruindo e abrindo novas estradas, construindo pontes e pontilhões, dando ampla assistência aos pobres, doentes e necessitados, criando a Serraria Municipal, que fornecia madeira para as tantas pontes que foram erguidas na sua gestão. Além disso, colaborou ativamente no movimento para a emancipação de Dom Feliciano e foi a primeira pessoa a levantar a existência de minerais nucleares (urânio, principalmente) em Encruzilhada, erguendo a bandeira da luta pela exploração e industrialização de nossas riquezas minerais.


Milton Rodrigues, também, ajudou a fundar o Movimento dos Agricultores Sem Terra (Master), no dia 24 de junho de 1960, inscrevendo seu nome nas páginas da História de nosso país, movimento ímpar na busca por justiça social no âmbito agrário do Brasil, o qual surgiu dos anseios pela legalização de terras de centenas de famílias (cerca de 300) que ocupavam cerca de 1800 hectares, desde a década de 1930, na localidade do Faxinal (hoje pertencente ao município de Amaral Ferrador), sendo que no final da década de 1950 estas famílias foram intimadas a deixarem esta área, sobre a qual exerciam posse há quase 30 anos, em razão de ação de reintegração de posse movida pelo senhor Euclides Lança, que alegava ser o verdadeiro proprietário destas terras. O prefeito Milton Rodrigues, articulou junto ao então governador do Estado, Leonel Brizola, acordo para desapropriar parte da área e emitir os títulos de posse aos camponeses que lá viviam por tantos anos, sendo que em 1962 foi eleito presidente do Master. Com o início da Ditadura Militar, em 1964, o Master teve suas atividades encerradas, mas, nos poucos anos de sua existência, levantou a bandeira da necessidade da reforma agrária e da melhoria de vida dos camponeses, sendo que sem a iniciativa do prefeito Milton Rodrigues tal movimento jamais teria surgido, ou, então, tido a grande abrangência que obteve em sua breve existência.”


 


26 visualizações0 comentário