top of page

ELISEU PADILHA (MDB) DE VOLTA A POLÍTICA PARTIDÁRIA

Talvez jovens eleitores não saibam quem é. Mas, agora com 77 anos, esse gaúcho de Canela, já foi prefeito de Tramandaí; deputado federal por três mandatos; e Ministro nos governos de FHC (PSDB), de Dilma (PT), e de Temer (MDB). Mas aqui no RS, no MDB, foi sempre um dos principais articuladores. Chegou a ter nome cotado para concorrer a governador do Estado. Agora, estaria retornando, ainda nos bastidores, despachando no Diretório Estadual da sigla, e muito próximo, como sempre foi, do vice-governador, Gabriel Souza (MDB). No momento é a famosa “eminência parda”. Sempre discreto, mas ágil, liderança nata.




PT CARIOCA SE ALIA AO PREFEITO PAES (PSD)

A administração da prefeitura do Rio de Janeiro passará a contar com o PT, que aceitou ingressar no governo local, com a condição de indicar o vice na chapa encabeçada por Eduardo Paes nas eleições municipais do ano que vem. Ou seja, o PT estará junto na tentativa de reeleição do prefeito. É a estratégia para crescer nos Estados a partir da ocupação de espaços / cargos em cidades importantes. O tempo voa e no próximo ano já temos eleições para prefeitos e vereadores. E para 2026 será meta do PT voltar a ter governadores/vices, fora dos Estados do Nordeste, para ter o que é chamado de capilaridade eleitoral. O PT sabe que Lula (PT) é maior que o partido, portanto, precisa pensar no futuro.


CURTAS

# O PSDB deve ingressar no governo de Sebastião Melo (MDB). Apesar de Melo não ter apoiado o atual governador, e o vice, do próprio partido, o PSDB precisa de espaços, e as duas siglas já pensam em 2024, e 2026. A tendência agora é de união para enfrentar nas urnas o PT.


# A federação PSOL-Rede avalia lançar Guilherme Boulos (PSOL) para concorrer contra Arthur Lira (PP), que busca a reeleição, e, com o apoio do PT. O PT não quer repetir 2015, quando procurou derrotar Eduardo Cunha (MDB), que acabou autorizando a abertura do processo de impeachment contra a então presidente Dilma (PT).


# Todas as eleições são, logicamente, importantes, mas as de 2024, em especial nas capitais e grandes cidades, serão palco da disputa que irá medir forças entre candidatos vinculados a Lula e alguns nomes bolsonaristas, ou, muito representativos da direita.


# A então oposição, agora situação, muito critica o “gabinete do ódio” do ex-presidente Bolsonaro (PL). Porém, já vem sendo ventilado em setores da imprensa que o atual governo já tem o seu gabinete do ódio, composto pelo grupo raivoso de petistas desejando vingança.


Publicidade


# Anunciado ontem o aumento, próximo a 15%, no piso salarial de professores, passando de R$ 3.845; para R$ 4.420. O reajuste havia sido divulgado em portaria interministerial nos últimos dias do governo de Bolsonaro, sendo confirmado agora.


# O governo federal já extinguiu uma diretoria criada no MEC (Ministério da Educação) para fomentar escolas cívico-militares já no primeiro dia do ano. Quanto as unidades já existentes nada foi dito ainda sobre a continuidade, ou não.


# Elon Musk: “esta é uma batalha pelo futuro da humanidade. Se a liberdade de expressão for perdida na América, tirania é tudo que resta à frente”. Que os brasileiros queiram liberdade, racionalizem, e ajudem a frear, o que apontam os fatos atuais.


# O mercado financeiro, nesse início de ano, está apostando em crescimento pífio do PIB do Brasil para 2023: 0,77% apenas. Em 2022 o PIB cresceu 3%. Ainda há muita indefinição quanto as propostas do novo governo, e o que será aplicado ou não.


# Na Assembleia do Estado de São Paulo o PSDB desde 1995 só não a presidiu na gestão de 2005 e 2006, porém comandada por aliado. Agora é o PL que tem a maior bancada, seguido pelo PT, e já lançou candidato, que está conversando com todas as siglas.


 

30 visualizações0 comentário
bottom of page