ESTADO TEM QUATRO PONTOS IMPRÓPRIOS PARA BANHO

Dos 90 pontos monitorados no Rio Grande do Sul em relação à balneabilidade, quatro apresentam condição imprópria, conforme o sexto boletim do Projeto Balneabilidade 2021/2022, divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) na manhã desta sexta-feira (21/1). São eles:

  • Pelotas – Balneário dos Prazeres, Laguna dos Patos

  • Rio Grande – Praia do Cassino, rua Goiás

  • Rio Grande – Praia do Cassino, rua Buenos Aires

  • São Jerônimo – Praia do Encontro, Rio Jacuí


Para conferir a planilha completa, clique aqui.

Os resultados são divulgados todas as sextas-feiras, até 4 de março, pelo site e redes sociais da fundação. Os dados também estão disponíveis no web aplicativo, que pode ser acessado aqui.

As coletas e análises nas praias e balneários de rios, mar e lagoas do Estado são feitas pela Fepam e pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) em 82 pontos. Em Pelotas, oito pontos são de responsabilidade do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep). No Litoral Norte, o trabalho é realizado pela equipe da regional da Fepam, que conta com a colaboração da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura.


Publicidade

O Balneabilidade é realizado desde o verão 1979/1980 e integra o projeto RS Verão Total do governo do Estado. O projeto é coordenado pelo Departamento de Qualidade Ambiental da Fepam e obedece à Resolução Conama 274/2000.

Recomendações aos banhistas

  • Procure entrar na água apenas em locais que apresentem condição própria para o banho.

  • Tenha atenção especial com as crianças e idosos, pois são mais sensíveis e menos imunes.

  • Evite tomar banho em época chuvosa e nas primeiras 24 horas após chuvas intensas, já que a tendência é de carreamento de esgotos e resíduos para os cursos d'água, o que pode ocasionar picos de contaminação dos rios e oceanos.

  • Evite entrar na água nos períodos de cheia do rio, quando o leito está fora do seu curso normal, e em canais pluviais, saídas de sangradouros, córregos ou rios que afluem nas praias, pois podem estar contaminados por esgoto doméstico.

  • Não tome banho em locais com concentração de algas, já que podem conter toxinas altamente prejudiciais à saúde.


Texto: Ascom Fepam Edição: Secom/Estado Rio Grande do Sul

158 visualizações0 comentário