HORA DA LIDA


Nunca estivemos tão conectados, tão antenados... e tão alienados ao mesmo tempo de nossas reais responsabilidades com o meio ambiente e tudo o que nos cerca. Mas cada vez fica mais inevitável negar que estamos sim em meio a um grande desequilíbrio climático e que, sem sombra de dúvidas nosso clima vem mudando nos últimos 10 anos.


Para a agricultura, cada vez mais, as abundâncias vêm em forma de infortúnios: abundância de seca, abundancia de ventos e, também abundância acima do necessário, de chuva. E todos esses desequilíbrios, que cada vez mais se intervalam menos e com menos tempo entre eles estão massacrando todos os agricultores, do menor, o familiar ao grande e o mega produtor rural, e não só no Brasil, isso é global.


Mas mais do que infortúnios climáticos, junto com ele vem também as pragas e desequilíbrios das mesmas. Quem não se lembra, em meio ao inicio da pandemia e nossas grandes incertezas que tal momento trazia, da nuvem de gafanhotos que vinha da Argentina e nós, brasileiros, rezávamos para que não chegasse até nós? Pois essa semana, quem tem redes sociais pôde ver mais cenas aterrorizantes vindas do sudoeste da Austrália, e essas cenas, mais do que pavor pela lavoura, há também o pavor de um animal bastante perigoso inclusive para a saúde pública, os ratos! Sim, a Austrália está em meio a uma enorme infestação de ratos domésticos que estão devastando lavouras, causando incêndios e ameaçando a saúde da população. As cenas são de filme de terror, cascatas de ratos caindo de uma colheitadeira, container com “piso – móvel”, ratos, ratos e mais ratos.


Publicidade

E mais uma vez, e mais rápido e com menos intervalo do que a penúltima praga que nos assustou, nos perguntamos: porque isso está acontecendo? Pode chegar até nós? Pode acontecer aqui? Infelizmente a resposta é muito cruel: SIM! A infestação de ratos de lá tem motivos similares à causa da nuvem de gafanhotos de cá: o DESEQUILIBRIO CLIMÁTICO. De acordo com o governo local, a situação se agravou após um grande período de seca. Com a volta da umidade no solo e a recuperação das fazendas, além de poucos predadores naturais, os camundongos começaram a se reproduzir de forma rápida. E de quem é a culpa? Será que é só de São Pedro? Ou será que podemos fazer mais pela nossa Terra? Com certeza podemos fazer muito mais, muito mais por nossos solos, nossas matas, nossos animais e, principalmente por cada um de nós! Cuide do meio ambiente, use a água com responsabilidade, maneje do seu lixo, o agro depende disso, e todos nós dependemos do agro!


E para quem ficou curioso para ver as imagens, corra nas minhas redes sociais e veja os vídeos que compartilhei, são aterrorizantes para qualquer “machão – sem – medo – de – ratos”.


Por @guria.da.lida

36 visualizações0 comentário