IPE SAÚDE INICIA PROJETO DE PARCERIAS PARA ATENDIMENTO NO INTERIOR

Usuários do IPE Saúde de diferentes localidades do Estado passarão a contar com pontos de atendimento para auxílio no encaminhamento de demandas. O Projeto Facilitadores prevê parcerias com agências Tudo Fácil e prefeituras. Bagé foi o primeiro município a oficializar a parceria. A assinatura do ato ocorreu nesta segunda-feira (16/8). Na sequência, foi realizado um ato simbólico no local cedido pela prefeitura, onde os usuários poderão receber orientações e encaminhar as demandas, na avenida Sete de Setembro, 1.270.

O objetivo é que possam ser atendidos os casos de pessoas que têm dificuldades com questões digitais, para que realizem no ato o serviço com o facilitador ou, nas situações em que é preciso fazer análise de documentação, para que façam as digitalizações necessárias e encaminhem as solicitações por meio dos formulários digitais (que também podem ser preenchidos no próprio atendimento, de forma on-line).

O diretor de Relacionamento com Segurados, Paulo Ricardo Gnoatto, explica que se trata de um projeto de capacitação, suporte e acompanhamento. Os funcionários indicados pela prefeitura recebem o treinamento e suporte da equipe do IPE Saúde e, a partir disso, auxiliam os segurados a enviar as solicitações.

“Há segurados que não têm familiaridade com as ferramentas digitais. Desta forma, as pessoas podem receber orientações para suas demandas e, aos poucos, se sentirem mais seguras para conhecer estas soluções”, explica, destacando que mais de 80 mil atendimentos foram realizados diretamente pelo site do IPE Saúde, entre março de 2020 e junho de 2021.

A partir da experiência em Bagé, devem ser elaborados os termos para adesão de mais municípios. Além disso, o IPE Saúde integra o projeto de expansão do Tudo Fácil, que está sendo implementado pelo governo estadual. A unidade de Lajeado tem previsão de iniciar operações em novembro, e o projeto prevê instalações também nos municípios de Pelotas, Passo Fundo, Rio Grande, Caxias do Sul, Santa Maria e Santa Cruz.


Publicidade

“Trata-se de uma ação que cria uma alternativa ao fechamento das agências do interior e garante auxílio aos usuários. Estamos trabalhando no formato adequado para que possamos, em breve, garantir esta parceria para os demais municípios que tiverem interesse na adesão”, destaca o presidente do IPE Saúde, Júlio César Viero Ruivo.

Agências do interior

As agências do interior do Estado atendiam de forma conjunta às demandas do antigo Ipergs que, com o projeto de especialização em 2018, foi separado em duas autarquias distintas: IPE Saúde e IPE Prev. Com a pandemia de coronavírus, o atendimento presencial foi suspenso em todas as unidades. Atualmente, a administração das agências remanescentes está sob responsabilidade do IPE Prev.

Para garantir o atendimento dos usuários mesmo nas fases mais restritivas da pandemia, o IPE Saúde criou o Atendimento Digital. Atualmente, todas as solicitações dos usuários podem ser encaminhadas diretamente pelo site. Os atendimentos do IPE Saúde em agências específicas serão permanentemente suspensos e passarão a ocorrer na nova modalidade de parcerias, a partir do Projeto Facilitadores.

Vale lembrar que serão prestados somente atendimentos ligados ao IPE Saúde, e os referentes ao IPE Prev devem ser solicitados em www.ipeprev.rs.gov.br.

Proteção de dados

O Projeto Facilitadores também se relaciona às necessidades de adequação à nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), ou seja, os facilitadores prestam informações, mas o uso de senhas e encaminhamento em si é feito pelo próprio usuário, no site. Além disso, a análise dos processos e acesso aos dados é realizada exclusivamente pelos servidores do IPE Saúde, por meio da documentação digital enviada. O instituto também é responsável pelo treinamento e prestação de assessoria contínua aos facilitadores.

A LGPD entrou em vigor em setembro de 2020 e visa proteger os direitos de liberdade e de privacidade, criando normas a serem seguidas por empresas e governos para a coleta e o tratamento de dados pessoais (como nome, CPF, endereço) e de dados sensíveis (como biometria e informações sobre política e religião).

Texto: Raquel Schneider/Ascom IPE Saúde Edição: Secom/Estado Rio Grande do Sul

7 visualizações0 comentário