LANÇADA A REDE DE PROTEÇÃO À FAMÍLIA

Oferecer serviços da área de educação, saúde, assistência social e segurança pública, que por meio de seus atores que devem articular ações no sentido de garantir os direitos da criança, do adolescente, da mulher e do idoso é o principal objetivo do lançamento da Rede de Proteção à Família que ocorreu no dia 25 de maio, em uma reunião realizada nas dependências da Asmes.


O grupo técnico que participou do encontro é formado por representantes de entidades ligadas a proteção da família de todo municipio.


Estiveram presentes a delegada Luana Tamiozzo Medeiros, o defensor Público Rodrigo Vazzata, o vice-prefeito Emanuel Nobre, o chefe de Gabinete Fabiano Soares de Freitas, a secretária de Cidadania e Inclusão Social Nádia Soares, a assessora da Secretaria Renata Amaral, a vereadora Cristina Boni, representando a Câmara de Vereadores, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Condimes), Elisabeth Silveira, o diretor do Hospital Santa Bárbara, Celso Teixeira, entre outras pessoas que fazem parte da estrutura da Prefeitura, como integrantes do PIM, Agentes Comunitárias de Saúde, Psicólogos, Psiquiatra e Assistentes Sociais.


O crescente número de denúncias de violência contra a mulher, maus tratos à idosos e ocorrências de estupro envolvendo crianças e adolescentes tem mobilizado secretarias da prefeitura e conselhos municipais.


Publicidade

O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Encruzilhada do Sul (Comdimes) já se reuniu duas vezes deste o início deste ano, com o prefeito Benito Paschoal e a secretária de Cidadania e Inclusão Social, Nádia Soares para tratar de assuntos relacionados à violência contra a mulher. A principal reivindicação do Condimes é dar infraestrutura para o Conselho atender a grande demanda de mulheres que procuram orientação de como proceder quando essas estão sofrendo violência doméstica.


A Rede de Proteção à Família reunirá os serviços de Assistência Social, Saúde, Educação, Judiciário, Promotoria, Defensoria, Segurança Pública, Conselheiros Tutelares, Educadores, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, profissionais que trabalham em entidades sociais, integrantes do Conselho dos Direitos das Crianças e Adolescentes, CRAS, CREAS e demais serviços que por meio de seus atores devem articular ações no sentido de garantir a integridade em especial de crianças, adolescentes, mulheres e idosos.


Importante destacar que o CRAS é o Centro de Referência de Assistência Social, responsável pela prevenção de situações de vulnerabilidade social e o CREAS é o Centro de Referência Especializado de Assistência Social que trata das consequências e acompanha as familias e indivíduos que já tiveram seus direitos violados.


Para que a comunidade encruzilhadense entenda melhor o que será a Rede de Proteção à Família um material informativo está sendo elaborado e vai servir como suporte para que a pessoa que sofreu algum tipo de abuso, maus tratos ou violência doméstica saiba onde procurar ajuda.

49 visualizações0 comentário