QUANDO O PROBLEMA VIRA BANQUINHO!

Desejo uma boa semana a todos os que estão me honrando com sua leitura.


Tenho unido um pouco da astrologia com a psicologia, a astrologia é uma importante ferramenta de autoconhecimento. E através da leitura dos mapas podemos lidar melhor com os desafios diários.


O post de hoje nos remete a situações não resolvidas, às quais ficamos sentados em cima, e muitas vezes, fazendo sintomas em nosso corpo. Um exemplo: A maioria das pessoas que tem como órgão de choque a garganta, ou seja, quem tem maior propensão para sentir dor na garganta tem também dificuldade de se colocar nas situações dizendo o que pensa.


Então, precisamos olhar para dentro para resolvermos os problemas. Nosso corpo físico também faz assim, as feridas provocadas pelo mundo externo, curam de dentro para fora.


Para que servem os remédios? Para nos auxiliar no processo, mas não trabalham sozinhos. O que nos cura é a mudança de atitude, de olhar.


E o que a astrologia tem a ver com isso? Pode nos indicar os momentos mais favoráveis.


Olhando para a Lua desta semana, vemos que estamos entrando em uma Lua Nova em Áries, isto quer dizer que é a hora de finalizar questões abertas e iniciar novas, criar soluções, ter força e fé.


Assim, esse é um bom momento para olhar para dentro de si, pegar sua maior reclamação, olhar para aquele problema que virou “banquinho…, respirar, descobrir a que dor esse problema ou reclamação se refere e transformar-se.


Publicidade

Trocando em miúdos….Se você é uma pessoa generosa, que faz tudo pelos outros e fica esperando o reconhecimento e esse reconhecimento não acontece como você gostaria, certamente, você se frustra, se entristece, se amargura, come sua frustação e engorda. Aí, fica mais infeliz, porque não está fisicamente como gostaria.


Olhe para dentro de si e procure aonde foi que você aprendeu a viver assim. Geralmente, nossa versão criança é quem tudo aprende. Então, mesmo doendo um pouco, se permita sentir a dor de seus primeiros desapontamentos. Relembre-se de situações e veja se depois da frustação não vinha um doce ou algo para comer somente.


Se acontecia isso, está aí o padrão que se repete.


Vamos acolher nossa criança e nos tornarmos adultos responsáveis por nossas escolhas.


O primeiro passo é depois do desapontamento não comer e buscar a endorfina de outra forma, que tal uma caminhadinha olhando para o céu.


O segundo passo é parar de buscar fora de si o que só você pode se dar.


Enfim! Esse é um bom momento astrológico para iniciar mudanças. Será mais fácil agora.


Então, evite deixar que seu problema vire um banquinho! A vida passa rápido. Se olhe! Cresça!


Não desperdice a oportunidade que essa vida está lhe dando, lembre-se que “Somos seres espirituais fazendo uma viagem neste plano”.

Patrícia Hony - Psicóloga